João Pedro Ávila o nome que se segue.

João Pedro Ávila irá suceder a Adalberto Belerique no comando dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

Criador de gado.

Nestes últimos seis anos vivi uma experiência fascinante.

Bom ano sem hipocrisia e falsidade.

Bom ano a todos sem hipocrisia e falsidade, eu deixei- as de lado ao badalar das zero horas do dia primeiro.

janeiro 13, 2018

45 Anos com mudança na liderança

Créditos de António Valinho
 
Fundado a 24 de Junho de 1973 pelo emblemático João Hermínio Ferreira,  que liderou o grupo durante 16 anos, entregando o testemunho a António Baldaya que o liderou até 2001, ano em que entregou os destinos do amadores da Tertúlia a Adalberto Belerique, que se despede este ano a 24 de Junho, precisamente no dia do 45º Aniversário do Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.
 
Créditos de André Pimentel
 

Três grandes nomes da forcadagem terceirense antecedem outro grande nome que o irá comandar, trata-se de João Pedro Ávila, como anteriormente havia noticiado, forcado de eleição e de comprovado valor, que com certeza enfrentará esta nova tarefa, de tamanha responsabilidade, com a mesma raça e determinação com que enfrentou os bravos na sua grande carreira de forcado amador.
 
São quarenta e cinco anos de história por onde passaram grandes forcados e por onde se formaram, muitos e bom aficionados. Seria incorreto destacar alguns dos grandes valores que passaram por este grupo, muitos já partiram, outros ainda por cá andam, a todos os que de uma forma ou de outra ajudaram a formar e a manter este grande grupo, que sobe honrar e acima de tudo projetar bem alto o nome da tauromaquia terceirense. A todos eles sem exceção muitos parabéns pelas 45 primaveras.
 
Duarte Bettencourt

janeiro 09, 2018

João Pedro Ávila o nome que se segue

"Tamagotchi" em baixo à direita no início de uma grande carreira

João Pedro Ávila irá suceder a Adalberto Belerique no comando dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, forcado com pergaminhos firmados e de extraordinário carácter, irá com certeza continuar a elevar o bom nome deste grande grupo de forcados.
Desde pequeno mostrou de que madeira era feito, tenho a honra de com ele ter partilhado alguns momentos do seu inicio.
Ao grupo da Tertúlia os meus parabéns pela excelente escolha e ao "Tamagotchi", se assim o me permitires chamar-te, a maior sorte do mundo para esta tua nova etapa.
Em boa hora seja.
Duarte Bettencourt

Criador de gado



 
 
Nestes últimos seis anos vivi uma experiência fascinante, tornei-me criador de uma raça fantástica que dá pelo nome de Aberdeen Angus.

Ao passar por esta agridoce experiência, aprendi muito sobre muita coisa que jamais pensei vivenciar.

Pergunta o estimado leitor o que é que tem a haver a minha experiência de criação de gado manso  com a criação de gado bravo?

Tem algumas parecenças pois por aquilo que passei, passam também, noutras circunstâncias é certo, os nossos criadores de gado bravo. Então vejamos.

O gado, seja ele de que raça for, tem de comer todos os dias, faça chuva ou faça sol.

Os animais tem de ser desparasitados duas vezes ao ano e há que tratar da sua sanidade para manter o rebanho livre de doenças, sejam elas de exploração ou não. É preciso também acompanhar a diário o estado de saúde do rebanho, para conter o mais depressa possível uma doença ou infeção.

Existe uma preocupação e inquietação constante por altura dos partos, porque o lucro de uma vaca depende de um vitelo vivo à nascença.

Há por outro lado uma ligação sentimental com o animal criado, no meu caso por muito que me afeiçoe ao dito, se este não tiver valor genético terá de entrar no circuito da carne para consumo humano e o mesmo se aplica ao criador de bravo, se o mesmo não tiver as qualidades e aptidões  que o seu criador pretende para a sua ganadaria.

Tanto eu como o homólogo criador de gado bravo temos de ser os principais críticos dos nossos animais, só assim podemos atingir um patamar de qualidade elevada.

Para se ser criador de gado de qualidade, seja de que raça for, é preciso sentir paixão pelos seus animais, é preciso investir, não só com dinheiro, mas também com muito amor e dedicação.

Para terminar deixo-vos um frase batida "Se fosse fácil ser criador de gado bravo, toda a gente o era."

Duarte Bettencourt

Nota final:
Escrevo estas notas no dia em que deixei de ser criador de gado.
Foi bonita a experiência.
Ficam as boas memórias e o muito que aprendi, como criador e como homem.

janeiro 02, 2018

Bom ano sem hipocrisia e falsidade

* o cartoon não é da minha autoria ;)
 
Bom ano a todos sem hipocrisia e falsidade, eu deixei- as de lado ao badalar das zero horas do dia primeiro. Votos meus que se estendem por todo o ano de 2018.
 
Comecei o ano com uma vontade grande de ler, não só os títulos como a maioria o faz, mas o sumo que se tira de uma leitura seja ela boa ou má. De algum tempo para cá me tem preocupado o futuro que eu pretendo viver, e para melhorar isso pratico diariamente para concretizar este meu objetivo.
 
A hipocrisia tomou conta do mundo, a falta de cultura é um monstro colossal à beira de um abismo sem fim, a mentira vale mais que mil verdades, os jornalistas, a maioria fakes, escreve ou palreia em função dos lobbies a que pertence, isto meus amigos aplica-se na perfeição a todos os quadrantes da vida humana.
 
Porra! Já não há gente séria? Felizmente ainda existem alguns espécimes, mas já são raros.
 
Caro leitor aconselho a ler os textos até ao fim este ano, veja de onde provem e depois sim dê a sua opinião, sim diga de sua justiça, participe, aceite as criticas, e não venham com a história das construtivas ou não, são criticas, são opiniões, são minhas, são suas, mas leia, leia até ao fim, mas por favor leia bem e deixe-se de hipocrisia e falsidade. 
 
Vamos todos ler bem e dar melhor opiniões. São os meus desejos para 2018.
 
Duarte Bettencourt