maio 02, 2006

Toiros em São Sebastião

Ontem deu-se inicio à época taurina na Ilha Terceira e o primeiro dia de tourada contou com três festejos, foram eles na Fonte da Ribeirinha com toiros da Casa Agrícola José Albino Fernandes, nas Fontinhas com toiros da ganadaria de Herdeiros de Ezequiel Rodrigues e por ultimo na Vila de São Sebastião junto à fonte com toiros de Humberto Filipe. E é a esta ultima que corresponde esta crítica.
Eram dezoito horas e trinta minutos em ponto quando se ouviu bem alto o foguete que deu inicio à contenda, o primeiro toiro do Tio Humberto saiu sonso e em começo de temporada os capinhas também estavam um pouco desabituados com o toiro, o segundo toiro no mesmo tom do primeiro acudindo um pouco mais aos capinhas que timidamente iam aparecendo, depois veio o habitual intervalo para degustar uma bifana e beber uma fresca e aproveitar para por a conversa taurina em dia, falou-se em muitas coisas mas o cartel das Sanjoaninas foi o prato forte. Foguete p’ró ar e lá saiu mais um toiro, este com o ferrro da ganadaria Rego Botelho mas propriedade do ganadero Humberto, saiu sério e metia respeito a quem pelo arraial transitava, com muito sentido este toiro foi para mim o toiro da tarde, o quarto da ordem saiu com muita pata mas foi de mais a menos.
O povo terceirense estava cedente de festa e foram muitos os aficionados que se dirigiram a São Sebastião para aí poderem apreciar à maior festa popular dos Açores e quiçá do nosso País, o ponto negativo desta corrida e das que se prevêem para o corrente mês é a hora a que se iniciou a tourada, saindo o ultimo toiro já com o sol a ir-se embora, acho que se deve rever a hora de inicio das touradas à corda na nossa Ilha para que a tourada não acabe na melancolia da noite.

0 comentários: