Feira de São João começa amanhã

A Feira de São João deste ano tem o seu inicio, amanhã dia 21 de Junho, com uma Corrida Concurso de Ganadarias...

Triunfo de Tiago Pamplona e Sérgio Aguilar no Festival de Beneficência

Há já algum tempo que não tinha o prazer de tomar notas numa corrida de toiros...

Comunicado - Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande - Feira de São João 2015

"O Grupo de Forcados de Amadores do Ramo Grande anuncia que não pegará no Concurso de Ganadarias da Feira de São João 2015 "

setembro 29, 2006

Agenda das Touradas à corda para o mês de Outubro

1 de Outubro
Canada do Capitão Mor – São Mateus – Toiros de Humberto Filipe

2 de Outubro
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de Rego Botelho

3 de Outubro
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes

4 de Outubro
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de João Cardoso Gaspar (Quinteiro)

5 de Outubro
Terreiro do Paço – Ribeirinha – Toiros de Manuel Rocha
Ponte da Ribeira Seca – São Sebastião – Toiros de Humberto Filipe
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de Humberto Filipe

6 de Outubro
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Bezerros de Herdeiros de Ezequiel Rodrigues e Humberto Filipe

7 de Outubro
Rua da Praça – São Sebastião – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes
São Bartolomeu – Toiros de Humberto Filipe
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

8 de Outubro
Rua da Igreja – Vila das Lajes – Toiros de Humberto Filipe

12 de Outubro
Largo da Fonte – São Sebastião – Toiros de quatro ganaderos

14 de Outubro
Canada de São Pedro – Ribeirinha – Toiros de João Cardoso Gaspar (Quinteiro)
São João de Deus – Santa Luzia – Toiros de Elizeu Gomes
Caminho da Vila – Porto Judeu – Toiros de Herdeiros de Ezequiel Rodrigues
Largo da Igreja – São Bartolomeu – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes
Terreiro – Serreta – Toiros de Daniel Nogueira
Canada da Vista – Quatro Ribeiras – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes
Caminho de Santo Isidro – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes

15 de Outubro
Caminho da Esperança – Porto Judeu – Toiros de Humberto Filipe
Rua dos Moinhos – Agualva – Toiros de Humberto Filipe
Estrada de Santa Margarida – Porto Martins – Toiros de Casa Agrícola José Albino Fernandes
Ladeira de Santa Rita – Santa Cruz – Toiros de Herdeiros de Ezequiel Rodrigues

Todas as touradas tem o seu inicio marcado para as 17 horas.

setembro 27, 2006

3º Troféu João Branco Núncio em Alcácer do Sal


"Já está à venda a "NOVO BURLADERO" de Setembro"


texto in Cavalonet

"Já se encontra nas bancas mais uma edição da revista NB, referente ao mês de Setembro. Com a temporada na sua recta final, faz-se reportagem das mais importantes corridas entre meados de Agosto e igual data de Setembro, nas praças do Campo Pequeno (destaque para a alternativa de Telles Bastos, que merece honras de capa), Alcochete, Samora Correia, Reguengos de Monsaraz, Arruda dos Vinhos, Coruche, Caldas da Rainha, Chamusca, Tomar, Montemor (com o devido relevo para a II Espora de Prata da N.B.) e São Manços.


Das festas de Barrancos mostram-se as imagens mais significativas. A N.B. foi a Cuéllar assistir à Alternativa de Mário Miguel, e das actuações dos portugueses no estrangeiro, dá-se uma exaustiva e completa listagem. Entrevistas com Fernando Palha sobre a corrida com toiros de Miura que abre a Feira de Outubro em Vila Franca; e ainda com José Rondão Almeida, presidente da Câmara de Elvas, sobre a próxima inauguração da praça de toiros elvense. Ainda uma reportagem sobre as Festas de Samora Correia...


Mais uma edição da NB com muitos motivos de interesse, mais uma de indispensável leitura!"

setembro 23, 2006

Concurso de ganadarias no Porto Martins

Realizou-se no passado dia 21 de Setembro na freguesia do Porto Martins uma tourada à corda Concurso de Ganadarias, em que participaram as ganadarias de Rego Botelho, Humberto Filipe, Elizeu Gomes e Irmãos Toste, cada qual apresentando um gueixo puro. Sai vencedora do prémio apresentação a ganadaria de Humberto Filipe e a ganadaria vencedora do prémio de bravura foi entregue à ganadaria de Rego Botelho.

"Associação solidariza-se - Ganaderos querem justiça perante actos de vandalismo"

in aUnião

"A Direcção da Associação de Ganadeiros dos Toiros de Corda reclama justiça perante os recentes episódios de vandalismo em explorações agrícolas na ilha Terceira.
Em comunicado recebido na redacção do jornal “a União”, a entidade representante refere que “os actos de vandalismo ocorridos na noite de terça para quarta feira passada nas ganadarias de Rego Botelho e Casa Agrícola José Albino Fernandes e que causaram elevadíssimos prejuízos nesta última, merecem o nosso mais veemente protesto e o mais absoluto repúdio”.

Depois de ter reunido expressamente para apreciar os actos de vandalismo ocorridos em duas ganadarias da Ilha Terceira, a direcção solidariza-se com as ganaderias afectadas e quer que “seja feita justiça” apelando às autoridades competentes para o apuramento dos factos e responsáveis.

Acto sem
precedente

“Pela calada da noite, para mais em noite de ameaça de passagem de um furacão, o que pressupunha toda a gente nas suas casas, alguém, escudado na mais abjecta cobardia, lançou fogo a uma casa de arrumos no interior da Ilha, pertença da ganadaria da Casa José Albino Fernandes, queimando tudo o que ali se encontrava, no valor de largas dezenas de milhares de euros”, descreve o comunicado.
Trata-se, referem, de “um acto a que não estávamos habituados”, merecendo por isso “a mais viva repulsa, acompanhada de um firme desejo de que seja feita justiça o mais rápida e eficazmente possível”.
“Apelamos às autoridades competentes para que, em nome da paz social da Ilha Terceira e em defesa de todos aqueles que honestamente procuram no trabalho uma forma digna de viver, envidem todos os esforços para que sejam encontrados os autores de tão cobarde acção e feita justiça ao acto praticado. Para que todos continuemos a acreditar nos valores que norteiam as nossas vidas”.

Alma brava
ferida

Mais dos que os prejuízos materiais, advogam, os recentes actos de destruição, a que o nosso jornal fez referência na edição de ontem, “atingem o cerne da alma daqueles que acreditam nos valores essenciais da vida em sociedade. Por isso clamamos por justiça!”
A Direcção da Associação de Ganadeiros dos Toiros de Corda aproveita a ocasião para endereçar aos associados detentores das ganadarias atingidas, nomeadamente aos da Casa Agrícola José Albino Fernandes, Sr. António Ferreira e D.ª Fátima Ferreira, “toda a nossa solidariedade neste momento difícil. Esta foi uma afronta a todo o povo da Ilha Terceira amante da Festa Brava e por isso, de forma alguma se podem sentir sós ou desanimados”.
“Vamos acreditar na Justiça e em quem tem por missão aplicá-la. Estamos certos que em breve tudo se esclarecerá. Esta acção não pode ficar impune. Nunca!”, concluem."

"DESTRUIÇÃO E ROUBOS - Vigilância policial nas pastagens terceirenses"

Texto e foto in aUnião


"A recente onda de assaltos e de destruição em explorações agrícolas da ilha Terceira está a preocupar empresários e associação.Um dos episódios mais preocupantes decorreu na quarta-feira com um incêndio no tentadero da Casa Agrícola Albino Fernandes.


A direcção da Associação Agrícola da Ilha Terceira (AAIT) reivindicou ontem "um reforço da vigilância policial" junto das explorações agrícolas nos dois concelhos da ilha para reduzir "uma onda de assaltos a animais e equipamentos".
Carlos Barcelos, presidente da AAIT, disse à agência Lusa que "na última semana se acentuaram os furtos de animais, máquinas de ordenha, cercas eléctricas e baterias", em particular nas freguesias da Vila Nova, Lajes e São Sebastião.
Segundo o dirigente agrícola, "os furtos de animais poderão indiciar uma tentativa de acesso a subsídios através do uso fraudulento dos brincos dos animais".
Quanto às máquinas de ordenha, acrescentou Carlos Barcelos, tudo indica que deverão ser desmanteladas e, posteriormente, vendidas às peças.
A associação agrícola ainda não possuiu uma estimativa correcta do valor dos prejuízos causados pelos furtos.

PSP reforça vigilância

O Comandante da PSP de Angra do Heroísmo, Fernando Prata, disse à Lusa que se comprometeu a efectuar um reforço de "vigilância descontínua" nas áreas mais afectadas.
Fernando Prata reconheceu que os problemas dos centros urbanos absorvem mais o trabalho dos agentes de que dispõe o quadro do Comando de Angra do Heroísmo, que não está preenchido.
O responsável adiantou, ainda, que recebeu "meia dúzia de queixas de furtos" nas explorações agrícolas, cujo valor ainda está por determinar, sublinhando que no caso dos lavradores o prejuízo não é tanto pelos bens, mas mais pelas repercussões que tem na produção.

Incêndio no tentadero

De acordo com informações colhidas pelo jornal “a União”, um dos principais alvos da onda de destruição foi o tentadero da Casa Agrícola José Albino Fernandes que na madrugada da passada quarta feira, que foi cenário de um incêndio de grandes proporções.
Com prejuízos calculados em 100 mil euros, o incêndio decorreu num pavilhão que obrigou à intervenção dos bombeiros que combateram o fogo ao longo de cerca de três horas.Os danos incluem a destruição de um tractor e alfaias agrícolas, bem como de uma grande quantidade de palha e de adubos.
Segundo os dados recolhidos, do tentadero de São Antão, localizado próximo ao Algar do Carvão, não houve qualquer furto, apontando-se para a hipótese de vandalismo e de fogo posto, uma vez que as forças policias verificaram ter existido arrombamento das instalações.
O caso está, para já, a ser investigado pela Polícia Judiciária."

setembro 16, 2006

"Moita: Um Só Toiro, Um Só Triunfo – Miguel Ángel Perera"

Por Solange Pinto in www.toureio.no.sapo.pt

"15 de Setembro na Moita do Ribatejo, mais uma corrida integrada na Festas em Honra da Nossa Senhora da Boa Viagem, desta feita uma corrida toda ela dedicada ao toureio apeado.
Noite gelada, menos de um quarto de lotação e um cartel do agrado de uns e provavelmente do desagrado dos que não estiveram na Moita na passada sexta-feira... Nuno Manuel “Velásquez”, Miguel Ángel Perera e o recente Matador de Toiros Mário Miguel, frente a um curro de toiros de Conde Cabral.

A Nuno Manuel "Velásquez" coube um lote complicadíssimo e que foi sem dúvida a maior condicionante das suas duas actuações. No primeiro toiro e depois de ter recebido de capote de forma discreta, iniciou faena, andando esforçadíssimo, tentando arrancar passes lúcidos, mas acabando por resultar uma faena deslucida pela falta de ligação entre os muletazos.
O seu segundo oponente conseguiu superar negativamente as más características do seu primeiro toiro, Velásquez mais não pode fazer que cumprir o tércio de capote conseguindo ainda arrancar duas bonitas verónicas. De muleta nada havia a um toiro que não investia e que de nenhum modo serviria ao toureio apeado.

O Matador de Toiros espanhol Miguel Ángel Perera trouxe a estrelinha da sorte, o sorteio ditou-lhe o único lidável Conde Cabral da noite. Embora de capote estivesse discreto, Miguel construiu uma faena de muleta bonita, de olés, de aplausos e de grandes ovações. De pés bem juntos desenhou três ou quatro muletazos perfeitos junto das tábuas, deu continuidade à faena bem no centro da arena onde esculpiu um magnifico toureio em redondo com a mão direita, alternando em séries de naturais esteticamente perfeitos... Muletazos e mais muletazos, pareciam não ter fim... E com a praça já ao rubro ainda conseguiu surpreender quando de pés bem cravados no chão executa vários circulares, lindos, magníficos!
Como “não há bela sem senão”, o quinto toiro da ordem e segundo do lote de Perera era dos que não tinha lide, ainda assim e de muleta conseguiu arrancar alguns passes bonitos embora isolados e sem ligação, faltando assim a continuidade que se pretende e que torna bonita uma lide com a flanela vermelha.

O 35º Matador de Toiros português, Mário Miguel trazia ganas de triunfo, mas infelizmente os toiros do seu lote em nada colaboraram. Recebeu à porta gaiola o seu primeiro recebendo os aplausos do público. Bandarilhou na perfeição, mostrando faculdades e habilidade, destacamos os dois primeiros pares. Já de muleta na mão iniciou faena no centro da arena com o pêndulo dando continuidade com o toureio em redondo. A vontade de investir do toiro pouco durou, tirando todas e quaisquer hipóteses ao toureiro açoriano de arrancar passes estéticos.
A sua segunda lide resume-se tão só aos pares de bandarilhas que cravou com facilidade, sendo o primeiro de muito boa execução. De muleta nada houve a fazer a um toiro que se fechou imediatamente em tábuas.

Como já referimos do curro enviado pelo ganadeiro Conde Cabral, só o segundo toiro deu bom jogo, sendo os outros cinco ordinários e mansos. O quarto da ordem foi ovacionado pela boa apresentação. Os pesos rondaram os 480 quilos.

Dirigiu a corrida sem problemas ou incidências a registar o Sr. António Barrocal.


Nuno Manuel Velásquez – Aplausos/ Aplausos
Miguel Ángel Perera – Volta/ Aplausos
Mário Miguel – Volta/ Aplausos"

Visita à Ganadaria de Álvaro Amarante

No passado mês de Agosto o Terceira Taurina visitou a ganadaria de Álvaro Amarante. Recebidos amavelmente pelo ganadeiro jorgense que nos mostrou com merecido orgulho a menina dos seus olhos. Situada na Vila de Velas mais propriamente no lugar de São Pedro, encontra-se a pastar a ganadaria de maior prestigio da Ilha de São Jorge, que tem como efectivo cerca de 130 cabeças, por entre vacas, novilhos e toiros. Deixamos aqui a reportagem fotográfica realizada no local e uma breve nota sobre a Ganadaria de Álvaro Amarante.

Ganadaria Álvaro Amarante

Proprietário: Álvaro Bettencourt Amarante
Morada: Rua da Capela, nº 21, 9800 - Velas
Entidade exploradora: Álvaro Bettencourt Amarante
Representante: Álvaro Bettencourt Amarante
Morada: Rua da Capela, nº 21, 9800 - Velas
Telefone/Fax: 295 412 274 / 917 058 569
Exploração solar do efectivo: São Pedro - Velas
Freguesia/Concelho: Velas
Maioral: Hélio Silveira
Procedência: José Albino Fernandes e Castro Parreira
Encaste actual: José Albino Fernandes


Esquerda: Sem sinal
Direita: Sem sinal



Nota histórica: O actual proprietário adquiriu o gado que era do seu pai Celestino Amarante a Vital Correia.
(informação retirada do sitio da A.R.C.T.C.)
Vacada











Novilhos para 2007







Toiros Corridos













Texto e fotos de Duarte Bettencourt

setembro 11, 2006

O primeiro a dar o grande passo

O ensino nos Açores está a dar os primeiros passos, sendo 2006 o ano de lançamento desta prova desportiva aqui na Região Autónoma. Este ano foram realizadas várias provas locais de apuramento a dois momentos regionais, um já realizado em Junho deste ano na Feira Açores, Ilha do Faial e o outro a realizar em finais deste mês na Ilha de São Miguel, onde se apurará o Campeão Regional nos diferentes escalões etários.
Foi através destes apuramentos que se começou a destacar um atleta terceirense de seu nome Roberto Brasil, que de entre as nove provas que realizou esta época atingiu nada mais nada menos do que sete vitórias, entre elas a vitória do primeiro momento regional.
O Roberto foi o único sénior que integrou a equipa que representou a ilha Terceira no Campeonato Regional, e foi também o único atleta Terceirense a trazer o primeiro lugar para casa.
Este atleta, com o sempre e constante objectivo de aprender sempre mais, fez estágios com nomes sonantes da equitação portuguesa de onde se destacam o Coronel Martins de Abrantes, o Eng. Bento Castelhano e o cavaleiro Olímpico Daniel Pinto. No final do mês passado o atleta terceirense realizou um estágio de três semanas na Coudelaria Oliveira e Sousa com a equitadora desta coudelaria e actual campeã da Taça de Portugal de Ensino.
Roberto ambiciona para já, finalizar o campeonato Regional dos Açores e de seguida deslocar-se novamente a terras continentais para se preparar para a Taça de Inverno, o cavaleiro montará um cavalo Puro Sangue Lusitano de ferro da Coudelaria Oliveira e Sousa, com 9 anos de idade e com o nome de Que Ilustre.
Ilustre será com certeza a presença do atleta Roberto Brasil em terras continentais, ao qual desejamos os melhores resultados e que a sorte o acompanhe nesta que é a primeira vez, que um cavaleiro açoriano compete num Campeonato Nacional.

Duarte Bettencourt

setembro 05, 2006

II Festival Internacional dos Açores de Escolas Taurinas

Realizou-se no passado sábado, dia 2 de Setembro, o II Festival Internacional dos Açores de Escolas Taurinas, uma organização da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.
Em boa hora decidiu a T. T. Terceirense organizar este festival internacional, dando a possibilidade aos jovens toureiros de demonstrarem a sua vontade em singrar numa das mais difíceis profissões do mundo. Além disso proporcionou aos aficionados presentes um bonito espectáculo e promoveu a festa brava desinteressadamente, sem fins lucrativos, coisa rara hoje em dia mesmo aqui na nossa pacata terra. De parabéns está a Direcção desta prestigiada colectividade Terceirense pelo brio e asseio que colocou nesta organização.
Ao festival, infelizmente, não aderiu o público desejado ficando a praça com ¾ de casa vazia com muito cimento a aparecer, justificando uma vez mais de que são poucos, aqui na Terceira, os chamados de verdadeiros aficionados.
O espectáculo começou pontualmente, fazendo as cortesias os dois jovens cavaleiros terceirenses Rui Lopes e João Pamplona, que montavam respectivamente o Poker al Oásis, com o ferro da Coudelaria Oásis e Ovni com ferro da Coudelaria Pamplona, fazendo o passeio estiveram Lobo dos Santos, Sérgio Pullido, Pedro Capilla e Manuel Dias Gomes juntamente com o Grupo de Forcados Juvenis da T. T. Terceirense. Foram lidados um novilho de Rego Botelho, um novilho da Casa Agrícola José Albino Fernandes e quatro erales de Francisco Luís Caldeira.

O primeiro da noite, que ostentava o ferro da ganadaria Rego Botelho, coube em sorte ao cavaleiro oriundo da Escola do Centro Equestre “o Ilhéu" Rui Lopes, que o recebeu montando o Balcão, um ruço em fase branca com o ferro de João Moura, esteve correcto o cavaleiro com a ferragem comprida, nos curtos sacou o Açúcar e rubricou uma lide em crescendo onde os ferros a quiebro foram uma constante, destacando-se os 3º e 4º ferros. Nota positiva para a boa brega desenvolvida e para os remates das sortes como manda a regra. Saiu à cara deste bravo novilho, o forcado Luís Alves que se fechou à segunda tentativa.

Lobo dos Santos, aluno da escola da Moita, recebeu o segundo da noite, um eral de Francisco Luís Caldeira como todos os outros lidados a pé nesta noite, por verónicas rematadas por meia e rebolera. No segundo tércio Lobo dos Santos colocou dois vistosos pares de bandarilhas e um meio par a violino. Na muleta andou asseado, desenhando alguns passes sem profundidade, foi volteado mas com garra acabou a sua lide com vistosas manoletinas.

Na lide do terceiro da ordem esteve Sérgio Pullido, aluno oriundo da escola de Madrid, que apenas trasteou com o capote, nas bandarilhas estiveram Rogério Silva com dois bons pares e Rui Silva, na muleta o madrileno deu alguns passes sem conexão ao exigente eral de Francisco Luís Caldeira.

Para a segunda parte saiu a arena João Pamplona, da Quinta do Malhinha, montando a égua Gaiata, para receber o novilho da Casa Agrícola José Albino Fernandes. O João está-se a tornar num caso sério da tauromaquia terceirense, excelente calção e com um sentido de lide no mínimo de gente grande, desenvolveu uma lide completa a um novilho complicado que cedo descaiu para tábuas e que tinha arrancadas violentíssimas que o cavaleiro soube e bem aguentar. Nos compridos destaque para a brega e execução do 2º ferro, para os curtos o jovem Pamplona utilizou o Ezequiel, um Rio Frio e o Ovni, com o primeiro colocou um excelente ferro ao estribo e com o Ovni (ferro Pamplona) colocou um bom ferro em sorte sesgada. Para a pega saiu o jovem forcado Rodrigo Silva a executar um excelente pega ao primeiro intento aguentando os fortes derrotes do novilho.

Pedro Capilla da escola de Sevilha, deu alguns passes com o capote, nas bandarilhas estiveram poderosos os bandarilheiros José Luís Leonardo e Jorge Silva em dois enormes pares de bandarilhas, na muleta usou e abusou da mão esquerda, tendo executado duas boas tandas de naturais, levou duas voltaretas, alongou demasiado a lide e escutou um aviso.

Mas para o fim do festival estava destinado o melhor momento da noite, saiu à arena para lidar o último eral, o aluno da escola de Vila Franca de Xira, Manuel Dias Gomes, filho do carismático forcado e cabo dos Amadores de Lisboa, José Luís Gomes e neto de Augusto Gomes o primeiro novilheiro português a actuar em terras espanholas. Com sangue toureiro a correr-lhe pelas veias Manuel Dias Gomes demonstrou ofício, rodagem e placeamento, e desenvolveu um lide harmoniosa e ligada com boas séries de derechazos e naturais com mando e temple, arrebatando a melhor lide do festival. Esteve toureiro e com maneiras este aluno de Vila Franca.

Dirigiu com acerto e alguma exigência o Sr. José Valadão assessorado pelo médico veterinário Dr. Vielmino Ventura.
Duarte Bettencourt
Para ver a reportagem fotográfica da autoria de Jorge Góis clique aqui

setembro 04, 2006

"Em Coruche só António Telles se impôs"

por Carlos Dias in www.tauromania.pt

"- Praça de Toiros: Coruche
- Data: 2 de Setembro pela 22 horas
- Empresa: Toiros & Tauromaquia, Lda.
- Ganadaria: António José Teixeira
- Cavaleiros: António Telles, Luís Rouxinol e Vítor Ribeiro
- Grupos de Forcados: Amadores de Coruche e Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense capitaneados por Amorim Ribeiro e Adalberto Belerique respectivamente.
- Assistência: 1/3 casa
- Delegados da IGAC: Sr. César Marinho auxiliado pelo Dr. Cilheiro Alves.

Em Coruche o público não aderiu a um cartel de três nomes que dominam o toureio a cavalo no nosso país na actualidade. Vítor Ribeiro actuou em substituição de Rui Salvador.

Os toiros enviados pelo ganadeiro Antonio José Teixeira deixaram muito a desejar na apresentação, contudo, foram colaboradores no seu geral com destaque para o lidado em 4º lugar. Após a lide deste, foi chamado à praça o representante da ganadaria.

António Telles abriu praça frente a um toiro que cedo evidenciou falta de força, desenhou uma lide de mais a menos condicionada pelas características do seu oponente. No seu segundo, o melhor da corrida, um toiro com nobreza, António demonstrou toda a sua classe. Nos compridos, cravou três com poder em sortes com cites “praça a praça” Nos curtos destaque para os 3º e 4º este de belo efeito colocado por terrenos de dentro. O público da sua terra exigiu mais um ferro e rematou a sua actuação com a colocação de um ferro palmo de muito boa nota com o toiro em terrenos de compromisso.

Luís Rouxinol no primeiro do seu lote, um toiro com arrancadas perigosas, deu a volta ao seu oponente e cravou quatro curtos, com sortes bem rematadas chegando com facilidade às bancadas e saíiu com o público a exigir mais um ferro. No segundo da ordem, regular nos compridos, nos curtos destaque para o 4º bem preparado a levar o toiro com a montada a ladear par o deixar nos terrenos escolhidos para executar a sorte. Fechou a sua actuação com o tradicional par de bandarilhas de belo efeito.

Vítor Ribeiro esteve longe do que nos vem habituando talvez resultado do desgaste da sua quadra provocado dos inúmeros compromissos divididos entre Portugal e Espanha. Frente a um toiro pouco colaborador não iniciou a lide da melhor forma, com algumas passagens em falso. Toureiro de raça que é, disposto a deixar tudo na arena, nos curtos arriscou, entrou nos terrenos do toiro, sofreu um toque violento que só não teve piores consequências porque o hastado não tinha força. Cravou seis curtos numa lide esforçada. No que fechou praça recebeu como é seu hábito, a parar o toiro nos médios para de seguida cravar dois compridos de boa nota. Cumpriu na colocação de 4 curtos.

No capítulo das pegas, os Amadores de Coruche abriram praça por intermédio de Francisco Duarte que se fechou bem à 1ª tentativa. José Tomás, muito bem numa pega vistosa, pegou à 1ª tentativa com boa ajuda de José Lucas com o grupo coesão a ajudar. Miguel Raposo após uma tentativa em que o toiro lhe passou ao lado, pegou bem à segunda com o grupo bem a ajudar.

Os Amadores da T.T. Terceirense em digressão pelo continente apresentaram-se em Coruche e deixaram transparecer que o receio de falhar era grande. Nas suas pegas tiveram sempre elementos distribuídos pela trincheira. Helenio Melo na primeira tentativa a um toiro que se arrancou com pata, recebeu mal e não se conseguiu fechar. Pegou à 2ª tentativa já com o primeiro ajuda em cima e com o toiro praticamente parado saltaram à arena mais três elementos. O segundo foi pegado por Leonardo Silva. Na 1ª tentativa o grupo não ajudou da melhor forma, 2ª tentativa não se conseguiu fechar e já com o grupo em cima pegou à 3ª tentativa. Fechou praça João Pedro, a aguentar fortes derrotes consumou bem à 1ª tentativa e mais uma vez voltaram a saltar três elementos.

O Mais e o Menos
+ O toiro lidado em 4º e a respectiva lide por Antonio Telles
- A opção Adalberto Belerique em mandar saltar três elementos para ajudar."

setembro 03, 2006

Cartaz da Corrida de 9 de Setembro na Praça de Toiros de Moura


setembro 01, 2006

Tiago Pamplona considerado máximo triunfador da época taurina na praça de toiros da Ilha Terceira

Tiago Pamplona foi considerado pelos visitantes do blog TerceiraTaurina como o máximo triunfador da época taurina 2006 na Praça de Toiros da Ilha Terceira. O jovem terceirense tomou a alternativa em Junho passado, com distinção e honra, alternativa esta atribuída por Joaquim Bastinhas. O segundo e terceiro mais votados pelos nossos visitantes foram respectivamente Rui Lopes e João Salgueiro.
Resultados
1º Tiago Pamplona - 51 votos 41%
2º Rui Lopes - 23 votos 18 %
3º João Salgueiro - 22 votos 18%
4º João Pamplona - 13 votos 10%
5º Luís Rouxinol - 9 votos 7%
6º Joaquim Bastinhas - 6 votos 5%
7º Gilberto Filipe - 1 voto 1%
8º Carlos Alves - 0 votos 0%
8º Sérgio Vegas - 0 votos 0%
8º Miguel Duarte - 0 votos 0%
Total de votantes 125