março 31, 2009

Julian López “El Juli”

Julian López Escobar “El Juli” figura máxima da tauromaquia mundial, fará as cortesias na arena da nossa Praça de Toiros Ilha Terceira no próximo dia vinte e seis de Junho integrado no terceiro festejo da Feira de São João, compartindo cartel com o cavaleiro Manuel Lupi e com os Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense capitaneados por Adalberto Belerique, os toiros pertencem à divisa terceirense de Rego Botelho.
Julian nasceu em Madrid a três de Outubro de 1982, passou a sua infância no bairro madrileno de San Blas e no bairro de La Concepción onde fez os seus estudos e onde se situava o negócio familiar, com dez anos passou a viver em Velilla de San Antonio para depois dos seus primeiros triunfos comprar a pequena herdade em Arganda del Rey. Actualmente divide a sua vida entre a sua moradia em Madrid e a sua herdade extremenha “El Freixo”, onde se situa a sua ainda recente ganadaria.
O toureiro madrileno tem raízes familiares ligadas à festa, o seu pai foi novilheiro passando depois a vestir-se de prata, da parte materna ouve familiares que foram empresários taurinos na província de Toledo. Com esta vivência familiar cedo se pôde adivinhar o seu futuro nas arenas.
No dia da sua primeira comunhão deu o seu primeiro capotazo a uma bezerra, devido àquilo que sentiu naquele dia de pronto pediu ao seu pai para ingressar na Escola de Tauromaquia de Madrid para aos dez anos de idade estoquear o seu primeiro bezerro em Villamuelas.
Devido à sua precocidade toureira Julian López decide debutar com cavalos, por ser menor e por o regulamento taurino espanhol não o permitir, ruma ao México debutando com cavalos a 16 de Março de 1997 na praça de toiros de Texcoco, triunfando com o corte de duas orelhas. No México foi considerado um autêntico ídolo onde num só dia toureou três novilhadas, indultando cinco novilhos, um dos quais na maior praça de toiros do mundo, a Praça Monumental do México.
Regressa definitivamente do México no ano de 1998 para actuar por toda a Europa taurina triunfando em todas as suas feiras taurinas, tornando-se no novilheiro mais cobiçado e apreciado das últimas décadas.
Apresentou-se em Madrid em solitário tendo saído em ombros após o corte de duas orelhas ao quinto da ordem
Toma a alternativa em Nimes a 18 de Outubro de 1998, das mãos de José María Manzanares com testemunho de José Ortega Cano, tornando-se o mais jovem matador de toiros de toda a história, naquela tarde cortou duas orelhas, uma a cada oponente.
Tão jovem matador contém um vasto curriculum, donde se destacam o corte de três orelhas na Feira de Abril em Sevilha em 2001, o corte de um rabo na Praça México em 2002, em 2003 corta um rabo no Palácio Vista Alegre entre outros muitos triunfos na sua ainda curta carreira.
Foi líder do escalafon em 2000 com 105 corridas, 200 orelhas e 23 rabos, é obra.
No ano de 2008 ocupou o quarto posto do escalafon com 74 festejos efectuados, cortando 104 orelhas e 3 rabos na lide de 157 reses.
Quem se lembra da sua actuação na Praça de Toiros Ilha Terceira no ano de 1992, numa tenta pública e comentada organizada pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense, quando tinha cerca de nove anos, eu lembro-me, lá já se viu o esboço de uma grande figura em que mais tarde se tornaria.
Agora tenho eu e todos os aficionados terceirenses de ver ou rever este extraordinário toureiro que nasceu com o toureio metido na cabeça.
Oxalá saiam bem os toiros que pastam na caldeira Guilherme Moniz, para podermos apreciar a sua arte, entrega e sabedoria toureira, próprias de um toureiro de época e que por certo marcará a história da tauromaquia açoriana.

Duarte Bettencourt

Fotografia: Toreria.es

0 comentários: