abril 10, 2009

Conferência "A Importância da Sorte de Varas"

No passado dia 4 de Abril realizou-se no auditório da Universidade dos Açores uma conferência subordinada ao tema "A Importância da Sorte de Varas" organizada pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense. Com a casa repleta de aficionados abriu praça o Presidente da Direcção da T.T.T. Arlindo Teles defendendo a importância e posição da Ilha Terceira no contexto tauromáquico universal. O estudo de Juan Carlos Illera foi frisado como de primordial importância para a desmistificação, através da ciência, relativamente á dor sentida pelo toiro, dor esta infringida pela puía e anulada nos três segundos subsequentes. Esclareceu o impacto da introdução da sorte de varas como um melhoramento do espectáculo taurino criando uma mais valia para a promoção turística desta ilha. Defendeu acima de tudo o direito à diferença e o respeito às minorias.
Assistimos em seguida a uma excelente apresentação do jornalista e apresentador do programa televisivo Extremadura Tierra de Toros, Antonio Castañares, intitulada “La Suerte de Varas: Pilar fundamental del arte del toreo.”, onde mostrou aos presentes a evolução da sorte de varas desde os varilargueros do século dezassete aos picadores de hoje em dia. Mostrou através de fotografias a evolução do peito do cavalo e na forma de picar com a evolução do toureio de capote e de muleta.
O segundo orador da noite foi o conhecido criador de toiros, proprietário da ganadaria Palha, João Folque de Mendonça, que começou por frisar que já tinha participado este ano em cerca de vinte conferências e que nunca tinha visto tantos jovens como aqueles que estavam presentes no auditório da UA. O criador, como gostem que lhe chamem, começou por afirmar que a festa dos toiros é um ritual que se perde nos tempos e que este em Portugal se tornou amputado e esvaziado, essencialmente pelo impedimento da realização da sorte de varas.
Disse que é proibido proibir, que todos nós temos direito a viver a nossa cultura, e que ele tem o direito de ver na sua plenitude as tradições que lhes foram transmitidas por seus pais.
Comparou um campo pelado com um campo relvado e comparou-os com a existência ou não da sorte de varas, a imagem fala por si e tem lógica. Uma equipa que joga num campo pelado e que depois lhe coloquem um piso relvado o aumento da qualidade do jogo aumenta exponencialmente, o mesmo acontecendo com a sorte de varas.
Gomez Escorial falou de si, mostrou-se enamorado pela ilha e pelas suas gentes, que nutrem um sentimento único e especial pela festa brava e que nós como aficionados que somos não merecemos uma festa limitada mas sim uma festa na sua plenitude.
Rafael Trancas picador de renome mostro-nos que quando a sorte de varas é bem executada todos os intervenientes no espectáculo triunfam, sem um bom primeiro tércio dificilmente se cortam orelhas.
Depois das intervenções dos palestrantes decorreu um colóquio com várias intervenções de grande interesse. Tiveram palavra aficionados, deputados, ganadeiros, numa troca de palavras e conhecimentos que foram importantes no esclarecimento e desmistificação da sorte de varas.
Enfim uma conferencia produtiva e de muito interesse que esclareceu aficionados e outros menos esclarecidos. De parabéns está a Tertúlia Tauromáquica Terceirense por este dia intenso de protecção e elevação da arte taurina na Ilha de Jesus Cristo.

Duarte Bettencourt

0 comentários: