maio 10, 2009

"Sorte de Varas - Aprovação do diploma acentua divisões "

Publicado in aUnião

"A aprovação, pela comissão parlamentar especializada, do diploma que legaliza as corridas de touros picadas nos Açores acentuou as divisões que a questão coloca no Arquipélago, com os dois lados a reafirmar os seus argumentos.
Para o presidente da Associação Ecológica Amigos dos Açores, a decisão 5ª feira tomada pela Comissão Parlamentar de Assuntos Sociais significa um “retrocesso civilizacional”, apesar de admitir que “a decisão era esperada”.
Por seu lado, Arlindo Teles, presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, considerou a decisão “um passo positivo”, apesar do que classificou como “campanha de desinformação” que tem rodeado este processo.
A comissão parlamentar aprovou hoje o projecto de decreto legislativo regional que legaliza as corridas de touros picadas nos Açores com seis votos a favor (três do PS e três do PSD) e quatro votos contra (todos os PS), tendo sido ainda registadas duas abstenções (uma do CDS/PP e uma do PSD).
Para Sérgio Caetano, “não é uma surpresa este assunto ser um tema fracturante no PS” mas admitiu que “muito dificilmente a proposta deixará de ser aprovada no plenário”.
O presidente dos Amigos dos Açores referia-se ao facto do diploma ser proposto por 26 deputados, o que significa que apenas necessita de mais três votos (ou três abstenções) para ser aprovado.
Apesar disso, garantiu que “a luta não vai acabar no dia da votação”, frisando que “há mais meios e acções legais que podem ser accionados”.
Diferente é a posição de Arlindo Teles, que também acredita na aprovação do diploma quando subir ao plenário da Assembleia Legislativa dos Açores, provavelmente já na próxima semana.
“Espero que seja aprovado, porque vai permitir uma evolução qualitativa do toureio a pé e o desenvolvimento da tauromaquia”, afirmou.
O diploma, com apenas quatro artigos, foi apresentado a 23 de Abril, subscrito por 26 deputados, do PS, PSD, CDS/PP e PPM.
Os líderes regionais do PS, Carlos César, e do PSD, Berta Cabral, já anunciaram a intenção de dar liberdade de voto aos deputados nesta questão.
O novo Estatuto Político-Administrativo dos Açores atribui competência legislativa ao parlamento regional em matéria de espectáculos e divertimentos públicos na Região, onde se incluem as touradas e tradições tauromáquicas nas suas diversas manifestações.
Nas últimas semanas, o tema das corridas picadas tem gerado polémica e divisões na sociedade açoriana, com uma troca de argumentos entre os que apoiam esta medida e os que a rejeitam.
A última corrida picada na Praça de Touros da Ilha Terceira realizou-se a 29 de Junho de 2002, no quadro das Festas Sanjoaninas."

0 comentários: