Feira de São João começa amanhã

A Feira de São João deste ano tem o seu inicio, amanhã dia 21 de Junho, com uma Corrida Concurso de Ganadarias...

Triunfo de Tiago Pamplona e Sérgio Aguilar no Festival de Beneficência

Há já algum tempo que não tinha o prazer de tomar notas numa corrida de toiros...

Comunicado - Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande - Feira de São João 2015

"O Grupo de Forcados de Amadores do Ramo Grande anuncia que não pegará no Concurso de Ganadarias da Feira de São João 2015 "

junho 30, 2009

A Porta Grande para “El Juli”e Indulto para o “Guarda” de Rego Botelho.

por Duarte Bettencour in Diario Insular

Viveu-se no passado dia 26 de Junho, na arena da Monumental Praça de Toiros Ilha Terceira, uma tarde de toiros inesquecível. Quem teve a sorte de poder assistir ao encontro de um toiro bravo com a maestria do matador de toiros Julian Lopez “El Juli”, decerto chamais esquecerá os momentos únicos vividos e sentidos com tamanha emoção.
Matador de renome internacional, bordou o toureio na arena angrense e levou ao rubro o público presente.
Duas voltas à arena, uma com o ganadeiro António Baldaya, com a praça toda de pé aplaudindo o triunfo do toureiro e do ganadeiro. Três toiros, três lições de bom toureio.
“El Juli” nasceu com o toureio na cabeça. Lembram-se dele na noite da Tenta Comentada, organizada pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense no ano de 1994? Aí já se vislumbrava um toureiro de futuro, assim o foi, assim o é, um toureiro de época.
Analisando mais a pormenor a Majestosa Corrida, como era anunciada nos cartéis, começo pelo desempenho do Alcochetano filho de uma grada figura da tauromaquia mundial, Manuel Lupi.
O cavaleiro recebeu o novilho 479 de Rego Botelho (RB) montando o “Sado”, para colocar dois compridos, o primeiro de frente com colocação descaída e contrária e o segundo à tira e traseiro. O novilho de RB saiu distraído com sentido nas tábuas, não colocando contudo problemas de maior ao seu lidador, pois de lá saía com facilidade. Para os curtos sacou o “Pesenho” com destaque para o segundo ferro a favor da crença natural e para o quarto, um de palmo cingido.
O segundo de Lupi com o número 499 saiu com outro som, empregando-se no combate, demonstrando que iria servir e bem para a função. O cavaleiro recebeu-o montando o “Valete” para lhe colocar dois ferros compridos sendo o segundo o de melhor nota, já com o “Wiskie” baseou a lide em sortes cambiadas ou ao piton contrário saindo o segundo ferro demasiado pescado, com destaque para o primeiro e quarto ferros da ordem.
No último toiro que lhe coube em sorte, e depois da saída em ombros do seu alternante, o jovem cavaleiro veio com ganas de triunfo, montando o “Sado” deixou um excelente ferro de praça a praça. Lupi andou ligado com o novilho número 476 não deixando se fixar na sua crença adquirida, a porta dos cavalos, já com o “Saon” continuou ligado e desenhando boa brega para colocar três ferros curtos de frente e dois de palmo com que finalizou a sua lide e tarde na arena angrense.
Os amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (T.T.T) abriram praça com o forcado Álvaro Dentinho. O novilho saiu para o abraço com alegria, fechando-se bem na cara do oponente o forcado, aguentando dois violentos derrotes para consumar a apega da tarde com a boa ajuda dos seus companheiros.
A segunda intervenção dos forcados da T.T.T. foi concluída à segunda tentativa por Leonardo Gonçalves, que adiantou as mãos nas duas tentativas executadas, para consumar a pega com a ajuda fundamental do grupo.
Para a cara do último toiro da corrida saltou à praça o forcado César Fonseca, que após inapropriada escolha de terrenos para fixação do astado, pegar com dificuldades à terceira tentativa. Saliente-se que o forcado da cara na terceira tentativa ia com o braço direito visivelmente diminuído, mostrando raça e valentia no embate com o toiro. Pormenor importante de salientar foi o de terem saltado a trincheira alguns forcados que tiraram brilhantismo à sorte.
Os toiros enviados pelo ganadeiro Rego Botelho saíram no geral a cumprir e com uma média de peso mos 489kg, destacando-se, e de que maneira, os bravos 3º, 4º e 5º, com destaque sem dúvida para o bravo, e futuro semental (não tenho dúvidas), de seu nome “Guarda” lidado em segundo lugar por Julian Lopez.
E por último “El Juli” o fenómeno. E fenomenais foram as duas lides ministradas aos bravos de RB, “Guarda” e “Helano”.
O primeiro de seu lote com o número 486 saiu a galopar bem, provando o matador com o capote e destapando desde cedo as dificuldades que iria demonstrar durante a lide, o toiro saía solto dos lances e parava-se pela esquerda, mas o lidador sobe, e bem, corrigir a investida a meia altura, mesclada por vezes com investidas humilhadas. Provando de seguida a esquerda que era sem dúvida de má qualidade onde o toiro se parava a meio dos lances, pela direita desenhou boas séries onde a diversidade e improviso do matador foram de entrega, que foi reconhecida pelo público presente. Destaque para os estatuários arrimadíssimos e de muito sentimento com finalizou a primeira lide.
A segunda lide foi de sonho, o toiro saiu a pedir contas e mostrou desde cedo aquilo que trazia dentro, “El Juli” provou-o com o capote para depois e por verónicas iniciar a faena, rematando com meia verónica seguida de revolera, ainda executou arrimadas chicuelinas rematadas por uma vistosa afarolada. A faena de muleta foi de tal forma emocionante que me faltam as palavras para descrever tamanha emoção, só mesmo estando presente para sentir brotar os olés e os arrepios sentidos na arena terceirense. Foram onze tandas com o toiro sempre a investir, com recorrido, com cadência, nobreza, bravura e humilhadas investidas, o que se pode crer mais num animal bravo? Passes com profundidade, temple e maestria. A oitava tanda pela direita foi a melhor que alguma vez presenciei, aí já estava rendido ao maestro madrileno o público presente. Finalizou por circulares invertidos pela esquerda, simulando a morte recebiendo.
A finalizar lidou o quinto da tarde e mostrou o poder que tem na interpretação de cada toiro que lhe cabe em sorte, escolhendo os terrenos apropriados para realizar lide e sacar o que de melhor tem um toiro, foi o que vimos na Monumental Terceirense. Ensinou o oponente a investir deixando sabor a arte e conhecimento, próprios de um grande toureiro. Uma lide em crescendo, com passes de muito temple e profundidade, rematando a lide por circulares.
Enfim uma tarde de glória para toureiro e ganadeiro. A Porta Grande foi aberta pela quarta vez na sua história de prata pelo matador de toiros “El Juli”.

junho 29, 2009

"El Juli" Triunfa nas Sanjoaninaas

O antes e o depois da Corrida Concurso

O outro lado da Corrida

junho 28, 2009

Grandioso Concurso de Ganadarias


Sorteio de hoje

1º Toiro - nº 241 - 440kg - C. A. J. Albino Fernandes - Lida o cavaleiro Vítor Ribeiro

2º Toiro - nº 93 - 410kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Manuel Lupi

3º Toiro - nº 218 - 505kg - C. A. J. Albino Fernandes - Lida o cavaleiro Marcos Tenório

4º Toiro - nº 493 - 485kg - Rego Botelho -Lida o cavaleiro Vítor Ribeiro

5º Toiro - nº 475 - 600kg - Rego Botelho - Lida o cavaleiro Manuel Lupi

6º Toiro - nº91 - 465kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Marcos Tenório

Pegam o 1º, 3º e 5º os amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense

Pegam o 2º, 4º e 6º os amadores do Ramo Grande

Dirige a corrida José Valadão

junho 27, 2009

Nos bastidores da Majestosa Corrida

Imponente Mano-a-Mano


Sorteio para a corrida de hoje

1º Toiro - nº 222 - 470kg - C. A. J. Albino Fernandes - Lida o cavaleiro Vítor Ribeiro

2º Toiro - nº 21 - 495kg - Falé Filipe - Lida o matador "Pedrito de Portugal"

3º Toiro - nº 223 - 480kg - C. A. J. Albino Fernandes - Lida o cavaleiro Vítor Ribeiro

4º Toiro - nº 240 - 470kg - C. A. J. Albino Fernandes -Lida o matador "Pedrito de Portugal"

5º Toiro - nº 230 - 460kg -C. A. J. Albino Fernandes - Lida o cavaleiro Vítor Ribeiro

6º Toiro - nº23 - 475kg - Falé Filipe - Lida o matador "Pedrito de Portugal"

Pegam o 1º, 3º e 5º os amadores do Ramo Grande

Dirige a corrida Carlos João Ávila

junho 26, 2009

Pedrito de Portugal por "El Fundi"

O matador de toiros anunciado para a corrida de amanhã, dia 27 de Junho, será substituído pelo matador de toiros português Pedrito de Portugal. Relembre-se que "El Fundi" teve um acidente grave na queda de um cavalo quando se encontrava a derribar, e que na sua reaparição em Toledo foi colhido com gravidade com uma cornada de 20 centímetros na perna esquerda, por ainda se encontrar em recuperação o mesmo será substituído pelo matador português.
Fica então assim o cartel para amanhã:

Cavaleiro
Vítor Ribeiro

Matador
Pedrito de Portugal

Forcados
Amadores do Ramo Grande

Toiros
Casa Agrícola José Albino Fernandes

Sorteio da corrida de hoje

1º Toiro - nº 479 - 495kg - Rego Botelho - Lida o cavaleiro Manuel Lupi

2º Toiro - nº 486 - 475kg -Rego Botelho - Lida o matador "El Juli"

3º Toiro - nº 499 - 480kg - Rego Botelho - Lida o cavaleiro Manuel Lupi

4º Toiro - nº 474 - 530kg - Rego Botelho -Lida o matador "El Juli"

5º Toiro - nº 478 - 425kg -Rego Botelho - Lida o matador "El Juli"

6º Toiro - nº476 - 530kg - Rego Botelho - Lida o cavaleiro Manuel Lupi

Pegam o 1º, 3º e 6º os amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense

Dirige a corrida José Valadão

Majestosa Corrida


Triunfo de Ruben Pinar em Corrida de Prata.

por Duarte Bettencourt in Diário Insular

No dia do patrono das festas maiores do concelho de Angra do Heroísmo, realizou-se a segunda corrida da Feira de São João denominada Corrida de Prata. Um cartel de homenagem aos cavaleiros, que no dia 21 de Junho de 1984 inauguraram a Monumental Praça de Toiros Ilha Terceira. Passaram-se 25 anos e quis, e bem, a Sociedade Tauromáquica Progresso Terceirense juntamente com a Comissão para a Tauromaquia das Sanjoaninas 2009, homenagear os fundadores da referida sociedade, os cavaleiros, o cabo dos forcados, o ganadeiro e o Director de Corrida que estiveram presentes nesta inauguração histórica. Foram ainda homenageados a Tertúlia Tauromáquica Terceirense e o Dr. Duarte Soares.
Após este gesto simples mas significativo deu-se inicio à corrida com a saída do novilho número 97 da ganadaria dos Irmãos Toste, um novilho com trapio que coube em sorte ao cavaleiro terceirense Tiago Pamplona. Montando a “Gaiata” recebeu-o à porta gaiola, sem contudo concretizar a colocação da ferragem, esta atitude mostrou que o jovem Tiago vinha com vontade de triunfar e com esta transformo-a numa lide de êxito. No primeiro tércio colocou três ferros compridos de excelente nota onde executou uma brega acertada e sem a ajuda dos seus bandarilheiros, coisa rara nos tempos que correm. Sacou o castanho “Universo” para continuar a boa brega desenvolvida e colocar três curtos rematados por dentro. Finalizou Tiago Pamplona com um ferro de palmo, cingido chegando ao conclave.
Saiu para a cara deste bravo o forcado experiente Marco Sousa dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, que com valentia pegou-o à quarta tentativa. Dificuldades nas ajudas fizeram com que assim fosse o derradeiro desfecho desta pega.
Seguindo a apreciação do lote do cavaleiro da Quinta do Malhinha, um toiro com pouca força e que faltava no momento da reunião, Tiago exagerou na colocação de três ferros compridos retirando alguma força ao seu oponente. No capote o toiro apresentou desde cedo uma investida violenta saindo do lance com as mãos por diante sinónimo daquilo que viria a fazer no decorrer da sorte da pega de caras. O cavaleiro do Posto Santo, andou alegre, esforçado e comunicativo não atingindo com o “Ovni” o brilhantismo que atingira no toiro anterior, contudo colocou dois ferros ao violino, que sendo uma sorte de recurso chegou com facilidade às bancadas, por fim coloca um excelente ferro de palmo com uma reunião ajustada.
Foi chamado a pegar o toiro número 88 dos IT, Álvaro Dentinho da T.T.T., que após duas tentativas falhadas por violentos derrotes do oponente, viu-se obrigado a ser substituído pelo colega José Vicente que com as ganas que o caracteriza, consumou a pega ao terceiro intento.
Marcos Tenório teve uma passagem discreta pela Monumental Terceirense. No seu primeiro de ferro IT e que ostentava o número 87 recebeu-o montado no “Terceira” uma estreia absoluta que não comprometeu, deixando o seu cavaleiro colocar um bom primeiro ferro comprido. Nos curtos sacou o “Bombom” que andou com demasiada velocidade tirando brilhantismo às sortes. Por último sacou o “Tivoli” arrimando-se mais, deixando no final da lide um de palmo cingido e de boa colocação.
Para a cara deste bravo dos IT, que galopava bem e que mostrava que ia entrar pelo grupo dentro, saiu o forcado do Ramo Grande Nuno Pires, que encurtando a alegre investida do oponente se fechou com ganas realizando a pega da tarde. Foi reconhecido o seu desempenho com uma especial chamada aos médios para lhe tributarem uma enorme ovação.
O de Elvas recebeu o segundo do seu lote montando o “Ben-Hur”, colocando dois compridos à tira, levando um violento embate na cravagem do segundo. Trouxe de novo à arena o “Bombom” para realizar à semelhança do seu primeiro toiro uma lide onde imperou a velocidade. Destaque para o segundo ferro da ordem, que aguentando a investida do novilho número 96 dos IT, deu vantagens e cravou de alto a baixo. Com o “Tivoli” andou regular rematando a lide com um de palmo.
A escolha do Cabo do Ramo Grande recaiu no forcado Manuel Pires que com valentia se fechou à terceira tentativa por falta dos ajudas no momento certo. A salientar o bom desempenho do contra-caras Vítor Oliveira, que esteve enorme nas três tentativas.
A tarde era de prata mas foram de ouro as duas actuações de Ruben Pinar frente aos novilhos da divisa azul e branca de Rego Botelho. O seu primeiro, com o número 477, de nobres investidas, recorrido, bonito em tipo mas feio de cornamenta, Pinar recebeu-o por parons mesclados com verónicas rematadas por revolera. Por chicuelinas desenhou o seu segundo quite de muito bom som.
Nos toureiros de prata que executaram o segundo tércio destaque para os pares de bandarilhas do terceirense Jorge Silva, demonstrando que na Terceira também temos bons toureiros.
A lide de muleta baseada essencialmente na boa direita do novilho, onde o toureiro de Albacete deu passes com profundidade e ligação desenhando uma faena de luxo rematada com desplante garboso e simulando por volapié. Grande lide de Pinar a um toiro nobre e bravo vindo das pastagens da Caldeira Guilherme Moniz.
Escolheu o matador, para fechar a sua actuação, o novilho número 497, que demonstrou desde o início um problema de investida, a que o seu “matador” soube e bem interpretar, misturando ajustadas verónicas com lances recuando, tentando ensinar o toiro a investir. Com um bonito quite por navarras encerou o primeiro tércio. Com a muleta começou por estatuários cingidos, começando o novilho a sair solto dos lances tirando algum brilhantismo ao inicio da faena. Inicia pela direita provando de seguida o de RB por naturais, que a partir da quarta série começou a investir melhor, deixando transparecer os grandes conhecimentos técnicos do matador que tendo lhe saído um novilho com dificuldades de acoplamento na investida, conseguiu fazer faena e triunfar. Prolongou em demasia a faena rachando-se o novilho no final da lide, mas mesmo assim e de rodillas em terra por molinetes, se despediu da aficion terceirense com duas merecidas voltas ao ruedo. Ruben Pinar pode vir a ser figura do toureio.
Para o fim da já longa tarde/noite de toiros (três horas e meia de corrida) saiu um novilho para o cavaleiro mais jovem da dinastia Pamplona, escasso de presença, mas de uma enorme bravura que sobrepôs à sua escassa apresentação. João Pamplona esteve soberbo recebendo o 98 dos IT com o “Pincel” com dois ferros de frente abrindo ligeiramente o quarteio, para depois e montando o “Pablo” desenhar sortes frontais com domínio perfeito do centro da sorte, cravando quatro curtos de nota alta. A sua juventude e raça toureira fizeram-lhe esquecer de rematar as sortes, mas foi um pequeno senão numa lide plena do jovem Pamplona.
Para a pega saiu o jovem Tomás Ortins dos amadores da T.T.T para nos brindar com uma excelente pega ao primeiro intento, numa intervenção divida com o grupo do Ramo Grande.
Dirigiu com acerto Carlos João Ávila numa corrida demasiadamente longa, em parte devido às homenagens iniciais e à dificuldade na recolha do quarto da ordem.
Nota positiva para o desempenho e modernidade trazida pela Orquestra do Angra Jazz.

junho 25, 2009

Nos bastidores da Festa

junho 24, 2009

Corrida hoje em Directo no Andalucia Tv

Corrida de Toiros desde Alicante, na comemoração do dia de São João, pelas 17 horas no Canal Andalucia Tv.
Serão lidados toiros de La Campana para Luis Francisco Esplá, que se despede, Morante de la Puebla e Sebastián Castella.

A reportagem possível

Ontem estava anunciada a Tourada das Crianças para as doze horas da tarde, dirigi-me à Praça de Toiros Ilha Terceira e para meu espanto já decorria a lide do novilho nº 98 de Rego Botelho pelo cavaleiro praticante João Pamplona.
A Comissão para a Tauromaquia das Sanjoaninas 2009 havia mudado o horário para as onze da manhã, contudo houve avisos na Rádio Clube de Angra, mas quem porventura não captou as ondas do RCA ficou estupefacto com a alteração do horário da Corrida, o mesmo se passou comigo, e infelizmente para aqueles que me seguem, só foi possível apreciar o belíssimo desempenho dos forcados juvenis da Tertúlia Tauromáquica Terceirense com três pegas à primeira tentativa por intermédio de Gonçalo Toste, César Santos e Bernardo Dentinho e uma pega ao segundo intento por João Pedro Fontes.
Lidaram-se nesta manhã dois novilhos de Rego Botelho o nº 32 para Manuel Dias Gomes e o acima referenciado para o cavaleiro praticante João Pamplona, foi ainda lidada a novilha nº164 também de RB pela trupe cómica constituída pelos capinhas Dimas, JóJó, Martelo e André.
Foi a reportagem possível em vésperas de São João.

Duarte Bettencourt

Tourada das Crianças

Sorteio da Corrida de hoje

1º Toiro - nº 97 - 510kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Tiago Pamplona

2º Toiro - nº 87 - 495kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Marcos Tenório

3º Toiro - nº 477 - 490kg - Rego Botelho - Lida o matador Ruben Pinar

4º Toiro - nº 88 - 460kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Tiago Pamplona

5º Toiro - nº 96 - 480kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro Marcos Tenório

6º Toiro - nº497 - 465kg - Rego Botelho - Lida o matador Ruben Pinar

7º Toiro - nº? - 350kg - Irmãos Toste - Lida o cavaleiro praticante João pamplona

Pegam o 1º, 4º e 7º os amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense

Pegam o 2º e 5º os amadores do Ramo Grande

Dirige a corrida Carlos João Ávila

Corrida de Prata

Tourada à Corda nas Avenidas

junho 23, 2009

Corrida da Oportunidade

por Duarte Bettencourt in Diário Insular

De montera na mão piso esta praça de primeira, carregando com força o pé nesta tão ilustre arena. Antes de mais nada gostaria de deixar presente que os artigos que vos vou trazer nestas páginas serão apenas a opinião de um aficionado à festa brava.
A Feira de São João deste ano teve a sua inauguração no passado dia 21 de Junho, no cartaz podia ler-se Corrida da Oportunidade, e foi exactamente o que podemos presenciar na arena angrense, uma oportunidade aos novos valores da tauromaquia. Pela ilha Terceira tivemos o praticante Rui Lopes, pela Espanha taurina José Manuel Más e por Portugal continental um dos novilheiros de maior expectativa, Manuel Dias Gomes.
O dia amanheceu nublado caindo alguma chuva pela ilha ameaçando em certas alturas a realização da novilhada, mas quis São Pedro ajudar e nem um chuvisco caiu na arena da Praça de Toiros Ilha Terceira. A aficion terceirense preencheu cerca de meia casa.
Às dezoito horas e trinta minutos deu-se inicio às habituais cortesias onde podemos apreciar à montada do cavaleiro, aos trajes dos novilheiros e seus adornados capotes de passeio.
A tarde de toiros iniciou-se com a lide do novilho número 237 dos Herdeiros de Ezequiel Rodrigues pelo cavaleiro do “Ilhéu”, o de ER saiu solto e desde cedo procurou o refúgio das tábuas, demorando-se a fixar no “Pincel”. O cavaleiro terceirense colocou dois ferros compridos, o primeiro numa tira a abrir o segundo de frente abrindo ligeiramente o quarteio. Já com o “Nó” a lide iniciou-se com alguns toques na montada para depois colocar o novilho nos médios e deixar um bom ferro curto, o novilho fazia antever o seu próximo comportamento e fixou-se na sua crença natural, a porta dos curros, e só de lá saía a custo e pela boa brega de Rui Lopes. O cavaleiro lidou-o onde podia e devia rubricando a cravagem de mais três curtos.
Para a pega deste novilho saiu à arena o forcado Jorge Santos dos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, que na sua ainda jovem carreira rubricou à segunda tentativa uma boa pega de caras.
No quarto da tarde, também de ER com número 225, que saiu com mais alegria do que o anterior, notando-se desde o início a sua tarda investida. O cavaleiro deu-lhe a brega adequada colocando-lhe dois compridos à tira. Para os curtos sacou o “Quarteio” baseando a lide nos ladeios tão na moda, destaque para o terceiro ferro a sesgo onde a colocação e remate da sorte foram de maestria, o toiro cedo perdeu o ímpeto perdendo as mãos por várias vezes, fazendo com que o “Açúcar” nos seus vistosos cites não tivesse o brilhantismo a que nos habituou o seu cavaleiro.
Saltou as tábuas Olger Melo da T.T.T. para se abraçar com garra e convicção à primeira tentativa.
A lide a pé teve dois momentos, o primeiro sem grande história e o segundo com os toureiros a rivalizarem entre si, onde podemos assistir a bons momentos de toureio.
José Manuel Más recebeu o primeiro do seu lote, o novilho número 492 de Rego Botelho, por verónicas. A seguir iniciou-se uma rivalidade saudável com Manuel Dias Gomes a sair ao quite, lidando por párons, saindo a repicar o lidador por chicuelinas. Nesta altura da lide já se notava que o piton direito do novilho seria o de melhor qualidade de investida. Seguiu-se o segundo tércio bem desempenhado pelos bandarilheiros de turno, salientando que ambas as quadrilhas estiveram em plano superior nesta tarde.
A lide inicia-se como mandam os cânones, desde as tábuas até aos médios. O toiro de RB tinha mobilidade, recorrido e humilhava bem, o novilheiro sentiu e acusou a falta da sorte varas não se acoplando à investida do oponente a que era necessário dar mais distância para que a lide tivesse outro sabor.
Na sua segunda lide o novilheiro veio com ganas de triunfo e deixou logo à entrada o seu cartão de visita, recebendo o astado com o número 86 dos Irmãos Toste por verónicas bem ajustadas e rematadas por meia cingida, o alternante saiu ao quite por tafalleras, obtendo como resposta de Más, Lopezinas com muita arte e improviso sendo ovacionado com força pelo público presente. Devido ao exagero dos quites o de IT chegou à muleta já a meio gás, pois à segunda tanda de derechazos o novilho rachou saindo solto dos lances, este tinha nobreza e humilhada investida mas com o pormenor atrás referenciado retirou algum brilhantismo ao desempenho do novilheiro. José Manuel Más acabou a lide por circulares invertidos deixando bom ambiente na arena terceirense. Escusado será de dizer que as duas voltas dadas por Más foram um tanto ou quanto exageradas.
Manuel Dias Gomes no seu primeiro dos irmãos do Cabo da Praia com o número 103, anovilhado de presença mas com peso para a função, recebeu-o por parons e verónicas rematadas por meia, respondeu Más por tafalleras, rematando Dias Gomes por chicuelinas, não muito bem desenhadas. A lide deste novilho teve pouco que contar. O novilheiro provou a esquerda do novilho sendo de seguida desfeiteado, o piton direito era o de melhor som mas também o de maior sentido. Deixou tocar com violência por várias vezes a muleta, numa lide sem história. O novilheiro, e bem, não deu a volta ao ruedo.
O segundo do seu lote, número 496 de RB, foi sem sombra de dúvida o melhor novilho da tarde, um novilho de humilhadas investidas com recorrido e com muita nobreza, o novilheiro soube aproveitar as qualidades do seu oponente rubricando a faena da tarde, no capote Dias Gomes toureou com salero desenhando bonitas verónicas, no quite de Más sobressaiu as navarras. Manuel Dias Gomes iniciou a faena no centro da arena com passes cambiados de muito valor e com reconhecimento do público presente, a faena estava em crescendo quando o novilheiro português foi volteado, mas sem consequências. Com um novilho desta qualidade Dias Gomes rubricou uma boa faena, com temple e suavidade nos passes para deixar bom ambiente entre a aficion terceirense.
Nota positiva para o labor da Filarmónica da Associação Cultural do Porto Judeu pela forma com interpretou o 13 pasodobles com que brindou o público presente.

junho 22, 2009

O outro lado da festa

junho 21, 2009

Ditou assim o sorteio para hoje

1º Toiro - nº 237 - Herdeiros de Ezequiel Rodrigues - Lida o cavaleiro praticante Rui Lopes

2º Toiro - nº 492 - Rego Botelho - Lida o novilheiro José Manuel Más

3º Toiro - nº 103 - Irmãos Toste - Lida o novilheiro Manuel Dias Gomes

4º Toiro - nº225 - Herdeiros de Ezequiel Rodrigues - Lida o cavaleiro praticante Rui Lopes

5º Toiro - nº 86 - Irmãos Toste - Lida o novilheiro José Manuel Más

6º Toiro - nº496 - Rego Botelho - Lida o novilheiro Manuel Dias Gomes

Pegam os 1º e 4º toiro os amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense

Dirige a corrida José Valadão

Fotografia da capa da Revista Festa na Ilha


O Forcado e a pega

por Duarte Bettencourt in Festa na Ilha

Forcado símbolo da diferenciação cultural da nossa tauromaquia, compreendido pelos portugueses aficionados como uma demonstração de abnegação e estoicismo do homem frente ao toiro. O nome hoje simplesmente usado para denominar o moço de forcado insere em si um misto de valentia e poderio próprio do português, que vê na sua história o que hoje pouco se encontra na nossa sociedade.
A atracção dos jovens por esta sorte dá-se muitas vezes pela experimentação de algo transcendente na luta do homem com a besta, que vem até nós desde os primórdios da humanidade.
Da casa da guarda às pegas a campo, para tratamento ou recolha dos animais, nasce a sorte da pega na arena da praça de toiros, que não é mais do que a total imobilização do bravo por um conjunto de homens comandados pelo seu Cabo.
A evolução da pega permitiu que possamos assistir hoje a uma sorte com os tempos bem marcados e definidos, do citar, do aguentar, do templar, para depois o forcado da cara se reunir entre os cornos do toiro e ser ajudado pelos restantes sete elementos que compõem uma formação. Estes dividem-se em primeiras ajudas, pontas, rabejador e terceiras ajudas; o forcado da cara tem de ter plena confiança nos companheiros/amigos, que saltam à arena com ele, pois tem de manter em pleno a sua mente, preparado para raciocinar e decidir rapidamente, pois tudo se passa numa fracção de segundos.
A preparação do forcado com vista a uma boa prestação na arena passa definitivamente pela sua boa forma física e principalmente pela sua boa forma psicológica, pois a determinação e a vontade ultrapassam o próprio físico. O treino com a tourinha ajuda a corrigir os pormenores técnicos e estéticos que hoje se devem apreciar numa pega, pois esta insere em si um conjunto de técnicas que quando bem treinadas e executadas fazem com que o público sinta e viva a experiência de uma pega bem consumada. O treino com a tourinha, traçando um paralelismo com o toureio pé, não passa de toureio de salão, por isso é de extrema importância o contacto com a rês brava, no campo ou na praça, aí se tiram ilações quanto ao treino realizado com a tourinha e que pormenores devem ser corrigidos para que na presença do público na praça se possa mostrar o melhor que o forcado tem para dar. Os treinos são a forma natural de selecção daquele que se afirma na forcadagem, daquele que depois de passar por um grupo de forcados se torna aficionado para o resto da sua vida.
O treino do forcado passa também pelo ensinamento dos princípios básicos da tauromaquia, todo o forcado tem de conhecer os terrenos da praça, as querenças naturais e adquiridas pelo toiro na arena, seja ele da cara ou terceira ajuda deve saber avaliar um toiro desde que este sai da porta dos sustos até ao momento em que é chamado a saltar as tábuas. O forcado deve saber analisar um toiro na lide a cavalo e principalmente quando este investe no capote do bandarilheiro, pois sabendo o que tem pela frente mais fácil se tornará a sua sorte.
Hoje a pega deve ser analisada desde o saltar a trincheira, pela forma coordenada com que os oito elementos saltam as tábuas, o brinde e a forma de brindar a sorte, a colocação do toiro em função das suas características, a estética, a técnica e a valentia do forcado da cara, a forma correcta e decidida das ajudas, um rabejo correcto e sabedor, que por vezes faz toda a diferença na consumação de uma pega, a forma como abandonam o toiro depois de consumada a pega saindo da união com o toiro como que uma flor a desabrochar.
Cada vez mais se dá importância à pega pela emoção que ela transmite, quantas são as vezes que se sai de uma praça comentando uma pega em vez de uma lide, porquê? Talvez porque falta esta emoção e verdade ao toureio a cavalo da actualidade. Quantas são as vezes que as palmas na hora da volta triunfal são única e exclusivamente para o forcado? Por isso o forcado amador deve-se sentir um toureiro de corpo e alma, pois é isso que ele realmente é, um toureiro.

Festa na Ilha já nas bancas

O número 13 da revista Festa na Ilha já se encontra desde ontem à venda nas bancas das papelarias da Ilha Terceira.
Mais uma excelente publicação da Tertúlia Tauromáquica Terceirense sobe a direcção de Ildebrando Ortins. A edição deste ano, para além dos habituais colaboradores conta com as prestigiadas colaborações do Filosofo Francis Wolf e do director adjunto da 6 Toros 6 Paco Aguado.
Um revista terceirense feita por terceirenses com qualidade universal.
Não perca mais esta edição da Revista Festa na Ilha.

Feira de São João em directo na web

O canal de vídeo AzoresGlobalTv irá transmitir em directo da Praça de Toiros da Ilha Terceira a Feira Taurina de São João 2009. Para quem não pode estar presente nas bancadas da nossa praça não perca a oportunidade de assistir a uma das melhores feiras do país na comodidade da sua casa.

junho 19, 2009

Corrida da Oportunidade


Já cheira a São João

As maiores festas populares do arquipélago açoriano começam hoje com o seu habitual desfile de abertura, as ruas e artérias da cidade Património Mundial enchem-se de gente para assistir e participar nestes dez dias de festa.
A tauromaquia como não podia deixar de ser é parte integrante e a mais importante do cartaz das Sanjoaninas.
A feira deste ano conta com cinco corridas sendo sem dúvida alguma uma das mais prestigiadas feiras taurinas portuguesas. Por ela irão desfilar nomes como os de “El Juli”, “El Fundi” (?), Ruben Pinar, José Manuel Mas, Manuel Dias Gomes, Vítor Ribeiro, Manuel Lupi, Marcos Tenório, Tiago e João Pamplona e Rui Lopes. Os trinta e um novilhos toiros que serão lidados pertencem a quatro ganaderos terceirenses que os criaram com afinco e ilusão, são eles Rego Botelho, Casa Agrícola José Albino Fernandes, Herdeiros de Ezequiel Rodrigues e Irmãos Toste. A competição na forcadagem está garantida com os dois grupos locais, o da Tertúlia e o do Ramo Grande, a rivalizarem entre si o prémio à melhor pega.
Que faça bom tempo e que a casa se encha de muitos e bons aficionados para assistirem aos toiros na Ilha Mais Taurina do Mundo.
Vamos aos toiros!

Duarte Bettencourt

Novilhada, amanhã no Andalucia Tv

O canal Andalucia Tv amanhã pelas desasseis horas e trinta minutos trás-nos ao seu ecrã mais uma novilhada de promoção inserida no XV Ciclo de novilhadas das Escolas taurinas da Andaluzia.
O cartel é composto pelos alunos Manolo Bautista de Jaén, Gallito Chico de Córdoba, Álvaro Gil de Sevilla, Muñoz Antúnez de Camas, Adolfo Ramos de Málaga e Daniel Sotillo de La Algaba. Serão lidados erales de Torrealta.
A novilhada será transmitida desde a localidade de Huéscar (Granada).

Programação TV para o fim de semana

Sábado, 20 de Junho

11h20m - Tendido Cero – TVE2

16h30m - Novilhada - Andalucia Tv

23h30m - Tendido Cero - TVE i

Domingo, 21 de Junho

12h30m - Extremadura Tierra de Toros - Extremadura Tv

13h55m - Toros para Todos - Andalucia Tv

18h30m - Arte & Emoção - RTP 2

"Acusa Arlindo Telles- Deputados foram pressionados a votar contra Sorte de Varas"

Publicado por Renato Gonçalves in aUnião

"Deputados regionais foram pressionados a mudar a sua intenção de voto sobre o diploma que visava introduzir corridas de toiros picadas nos Açores, afirma Arlindo Teles, presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense que acusou ainda Carlos César de se ter contradito, “ a partir do momento em que diz que há liberdade de voto e logo a seguir manifesta-se contra a sorte de varas”.
Falando na apresentação da plataforma “ Ilha do Toiro”, o líder da Tertúlia Tauromáquica lembrou que “ os deputados que mudaram de opinião pertencem ao PS” afirmando que se sentia nos corredores da Assembleia Regional “existirem pressões, alguns deles tiveram até vergonha de nos encarar”.

Defender a festa brava

Arlindo Teles apresentou ontem na sede da Tertúlia a plataforma “Ilha do Toiro” uma entidade que pretende a defesa e promoção da cultura taurina.
Formada pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense em conjunto com outras entidades onde se englobam a Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo, Associação Agrícola da Ilha Terceira, Associação Regional de Criadores da Tourada à Corda, os forcados da Tertúlia e do Ramo Grande e as Comissões de tauromaquia das Sanjoaninas e das Festas da Praia, esta plataforma irá levar a cabo acções que contribuam para o esclarecimento da população sobre a festa brava, servir de elo de ligação a organismos que interfiram ou interajam com a realidade taurina e de sensibilização junto do poder politico, tendo sempre presente “o garante da identidade cultural de um povo”, assinalou Arlindo Telles.
O presidente da Tertúlia reconheceu no lançamento desta plataforma que a aficion açoriana “ teve alguma passividade na defesa dos seus interesses e aprendeu com isso mesmo”, reconhecendo ser necessário uma melhor organização para lutarem contra o movimento anti-taurino que “ ganhou rapidamente expressão” pretendendo “ destruir os nossos valores culturais mais profundos”, através da defesa “ de uma global uniformidade cultural que eles próprios não sabem qual é”, acusou Arlindo Teles no seu discurso de apresentação da Ilha do Toiro.
As primeiras acções estão previstas para as Sanjoaninas onde a Ilha do Toiro irá distribuir panfletos com frases de afirmação da cultura taurina e explicações sobre o que é a sorte de varas e t-shirts com a frase “ Sou terceirense, sou aficionado”.

Regulamento preocupa

Questionado sobre as noticias vindas a publico que dão conta da criação de um projecto de lei para regulamentar a actividade taurina no Arquipélago, Arlindo Telles afirmou conhecer apenas aquilo que tem vindo na comunicação social mas mostrou a sua preocupação por algumas questões como “a definição de ganadeiro que irá baixar de categoria, algo que nos levanta preocupação”.
O responsável da Tertúlia expressou o seu desejo que este regulamento não seja apenas uma formatação das leis já existentes mas sim “ um documento estratégico que regule a actividade tauromáquica”."

Provavelmente "El Fundi" não virá à Terceira

Provavelmente o matador de toiros José Pedro Prados "El Fundi", não irá estar presente na quarta corrida da Feira de São João 2009.
Segundo o site taurino espanhol Burladero, o próprio matador reconhece que quer retomar a sua actividade com muita tranquilidade e que será muito difícil a sua recuperação para a corrida do próximo sábado, dia 27 de Junho, mas porém deixa no ar a possibilidade de cá vir. O matador afirma também que a meta para a sua reaparição será o inicio do mês de Julho onde tem compromissos em Burgos e em Pamplona.
Relembro que "El Fundi" sofreu no campo uma forte queda a cavalo que lhe atirou para fora dos ruedos cerca de um mês. No seu regresso no passado domingo dia 14 de Junho em Toledo, foi colhido quando lidava o seu primeiro toiro, sofrendo uma cornada de vinte centímetros na perna esquerda.
O matador espanhol teve alta ontem e começou hoje a fazer exercícios de reabilitação.
"El Fundi" foi substituído na Feria de Badajoz, onde estava anunciado para actuar domingo dia 21 de Junho, pelo matador de toiros português Pedrito de Portugal. Caso se confirme a impossibilidade de “El Fundi” tourear na Feira de São João, qual será o nome do seu substituto? Aguardamos com serenidade.

Duarte Bettencourt

junho 18, 2009

Farpas de 17 de Junho

junho 15, 2009

Festa Brava de 13 de Junho

junho 12, 2009

Corrida de Toiros em Granada

O Canal Andalucia TV transmite amanhã desde a Praça de Toiros de Granada, a corrida da Feria del Corpus, com os diestros Morante de la Puebla, Miguel Angel Perera e El Fandi, os toiros pertencem à divisa Torrehandilla. Não perca amanhã pelas 17 horas no canal autonómico da Andaluzia.

Programação TV para os próximos dias

Sábado, 13 de Junho

11h20m - Tendido Cero – TVE2

13h10m - Festa Brava - RTPa

17h00m - Corrida de Toiros - Andalucia Tv

23h30m - Tendido Cero - TVE i

Domingo, 14 de Junho

12h00m - Extremadura Tierra de Toros - Extremadura Tv

13h55m - Toros para Todos - Andalucia Tv

18h00m - Arte & Emoção - RTP 2

junho 11, 2009

Tourada à Corda na Fonte do Bastardo

Farpas de 11 de Junho


junho 05, 2009

Programação TV

Sábado, 6 de Junho

16h15m - Novilhada - Andalucia Tv

Domingo, 7 de Junho

12h00m - Extremadura Tierra de Toros - Extremadura Tv

13h55m - Toros para Todos - Andalucia Tv

18h00m - Arte & Emoção - RTP 2

junho 03, 2009

Festa Brava do passado fim de semana

junho 02, 2009

Equitação


Novo Burladero de Junho


Daniel Luque capa da 6 Toros 6 e da Aplausos