janeiro 24, 2011

"Salienta Arlindo Teles - Monumento ao Toiro é "uma bandeira de afirmação""


"O Monumento ao Toiro, uma escultura com "11 metros de altura e revestida a bronze", sábado inaugurado em São Bento, Angra do Heroísmo, "homenageia a cultura tauromáquica e a sua dimensão na ilha", salientou o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

“É um grande orgulho. É uma bandeira de afirmação no futuro de uma cultura que está muito viva e que representa todo um povo e uma ilha que se revê nesta cultura (a tauromaquia)”, afirmou o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, Arlindo Teles, entidade responsável pelo projecto.

O monumento está colocado na rotunda junto à Praça de Toiros da Ilha Terceira e foi concebido pelo artista plástico terceirense Renato Costa e Silva.

“O monumento é composto por uma estrutura metálica com um conjunto de três toiros, inseridos num cilindro, que estão em posições distintas, que permitem uma interpretação livre das várias formas de toureio”, descreveu Arlindo Teles, acrescentando que "a superfície é coberta por um betão especial composto por cimento, cimento cola, cinza vulcânica e fibra de vidro, com revestimento a bronze, importante para a conservação" da obra.

Além de salientar que o monumento é "um marco da cultura da ilha Terceira", o presidente da Tertúlia destacou ainda a importância da escultura do "ponto de vista plástico", que "já recebeu elogios à escala internacional".

Segundo o presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, a obra foi "financiada em 150 mil euros pelo Governo açoriano", contando ainda com "o apoio de mais de 40 empresas e particulares".

A inauguração do monumento constituiu o ponto alto do 45º aniversário da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, que integrou ainda uma homenagem aos sócios fundadores, exibição de um filme com os passos de elaboração do Monumento ao Toiro e lançamento de um selo comemorativo da inauguração da obra.

Cultura taurina

Na ocasião, a presidente da edilidade angrense sublinhou que “o povo terceirense ama, acarinha e vive intensamente a cultura dos toiros”.

“Hoje homenageamos não exclusivamente este animal por todos acarinhado, mas igualmente aqueles que trabalham para que ele perpetue. Homenageamos por isso os

ganaderos, capinhas, pastores, cavaleiros tauromáquicos, toureiros e todos aqueles

que contribuem para que a nossa cultura se mantenha viva e seja intensamente vivida”, acentuou Andreia Cardoso.

No seu entender, o Monumento ao Toiro “é mais uma marca da nossa identidade cultural e devemos lutar todos os dias para que a nossa identidade se mantenha e se afirme”.

Já o secretário regional da Saúde considerou tratar-se de uma “obra de arte, um belo testemunho de amor pela festa brava, com múltiplos significados, que pode constituir um excelente cartaz turístico para Angra”.

“Os aficionados verão neste monumento um toiro, quem não é aficionado verá a relação que existe entre os açorianos e gado bovino, aliás um suporte da nossa economia, tanto na exploração leiteira como na exploração de carne”, adiantou Miguel Correira.

Por outro lado, a nível histórico,” pode ver-se um símbolo da resistência deste povo e a vitória que foi conseguida com a ajuda de toiros ou de rezes bravas, na célebre batalha da Salga”.

Miguel Correia lembrou que, também, no brasão de armas da Região Autónoma dos Açores se podem ver dois toiros, “acorrentados mas certamente livres”."

0 comentários: