maio 01, 2011

Crónica de um Festival

Decorreu ontem, dia 30 de Abril, na Praça de Toiros da Ilha Terceira o Festival do Posto Santo, uma organização da Comissão de Festas daquela freguesia do Concelho de Angra do Heroísmo. Em praça a prata da casa com as presenças dos cavaleiros Tiago Pamplona, Rui Lopes e João Pamplona, coadjuvados pelos bandarilheiros Rogério Silva, Rui Silva, Jorge Silva e João Pedro Silva. As pegas estiveram a cargo dos amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, Ramo Grande e do Canadá, em estreia absoluta na Ilha Terceira.

As bancadas compuseram-se em meia casa forte, em dia de nortada invernal.

Após as cortesias quis, e bem, a organização homenagear quatro figuras da nossa tauromaquia, foram então chamados à arena o cavaleiro João Carlos Pamplona, o antigo forcado Paulo Magalhães e os já retirados bandarilheiros Rui Silva e Rogério Silva. Uma lembrança pela primeira actuação na Praça de Toiros da Ilha Terceira foi entregue ao cabo do grupo de forcados do Canadá, Miguel Ataíde.

Quanto às lides efectuadas pelos cavaleiros terceirenses destacam-se as lides do quarto da ordem por Tiago Pamplona, a lide ao quinto por Rui Lopes e a terceira da tarde pelo jovem praticante João Pamplona.
No cômputo geral os jovens cavaleiros desenvolveram lides agradáveis, com ferros que foram antecedidos de boa brega e consequente boa colocação dos astados, com abordagens frontais abrindo ligeiramente os quarteios, deixando em todo o alto a ferragem da ordem e rematando as sortes como mandam os cânones.

Destacam-se as intervenções de Tiago Pamplona montando a “Gaiata” na ferragem comprida, nos curtos com o “Bastinhas”, em estreia auspiciosa desta montada com nome de toureiro importante, Rui Lopes nos curtos com o “Quarteio” e com o “Violino”, este último com um toureio praticado à moda antiga, e o João Pamplona montando a “Tequila” a receber o seu segundo novilho.

Na forcadagem foi dia de rodagem de novos elementos com algumas estreias à mistura. Pelos amadores da Tertúlia pegaram Jorge Santos, à terceira tentativa e Carlos Vieira à primeira tentativa na pega da tarde, pelos do Ramo Grande foram à cara Luís Valadão, à segunda e Alex Rocha à terceira tentativa e pelos amadores do Canadá foram solistas Nelson Mendes ao segundo intento e Armando Sampaio ao terceiro.

Quanto aos novilhos apresentados destaca-se a apresentação do quinto da ordem pertencente à ganadaria de Francisco Gabriel Ourique, e ao desempenho dos seis novilhos apresentados pelas ganadarias de Herds. Ezequiel Rodrigues, João Cardoso Gaspar, Humberto Filipe, Manuel João Rocha e Francisco Gabriel Ourique, que apesar de não serem bravos cumpriram para a função, excepção feita ao primeiro da ordem de Francisco Sousa, que pasme-se com a decisão do Director de Corrida, Sr. Carlos João Ávila, que ordenou a sua recolha por este ter saltado a trincheira por diversas vezes, sinal inequívoco da sua mansidão. Como é possível devolver um toiro aos currais por ser manso, quando na cabana brava a excepção é a bravura?

Por último um reparo para este tipo de organização que apesar de ser muito benéfica para com a tauromaquia terceirense, fazendo com que seja dado a oportunidade de rodagem à chamada prata da casa, não o é quando o mesmo não inclui rendimentos financeiros a quem tem uma estrutura montada, quer seja ao nível das quadras de cavalos, das ganadarias ou até mesmo dos grupos de forcados, que necessitam de verba para manterem estas mesmas estruturas. Se fosse caso de um festival de beneficência compreendia-se, mas para angariação de fundos para uma festa de verão não.

Com esta me despeço.

Duarte Bettencourt

0 comentários: