junho 27, 2011

Com Chuva e Toiros

Foi assim que decorreu a terceira corrida da feira de São João deste ano. No dia 25 de Junho, São Pedro não teve para meias medidas e abriu as torneiras, despejando sobre os angrenses água a potes. Com a indefinição da realização da terceira da feira a pairar no ar, com os intervenientes a testarem a arena depois das cortesias, acabaram por decidir e bem continuar com o espectáculo mesmo debaixo de chuva, por respeito ao público presente que ocupava cerca de meia casa nas bancadas.

O cartel desta tarde era composto pelos cavaleiros Vítor Ribeiro, João Moura Jr. e Rui Lopes na lide de toiros das ganadarias continentais de António Veiga Teixeira e Ortigão Costa. As seis pegas estiveram a cargo do Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, em dia de homenagem aos actuais e antigos membros, com o lançamento do passodoble, com o nome do grupo, escrito pelo maestro Durval Festa e interpretado pela Banda da Sociedade Filarmónica Rainha Santa Isabel das Doze Ribeiras.

Vítor Ribeiro, João Moura Jr. e Rui Lopes bridaram a aficion terceirense com o respeito que ela merece desenvolvendo lides de mérito perante as dificuldades atmosféricas e do estado do piso da arena.

Vítor Ribeiro lidou com acerto o primeiro do seu lote, um toiro de bonitas hechuras da ganadaria de Ortigão Costa, que se prestou para o bom desempenho do cavaleiro continental, com abordagens frontais e com ferros ao estribo. O seu segundo, um Veiga Teixeira complicado que galopava por dentro adiantando-se à montada, dificultando a sua lide. O cavaleiro não se entendeu com o oponente embora saindo sob forte ovação após a colocação de um violino.

João Moura Jr. teve por diante um manso complicado de Veiga Teixeira, causando dificuldades ao jovem de Monforte, contudo o astado evoluiu com a lide ministrada, deixando o seu cavaleiro cravar ferros de mérito. O seu segundo, de Ortigão Costa, também tendeu para a mansidão, com o jovem Moura literalmente a despachar a sua lide, não só pelas condições do astado como também pelo estado do piso da arena, embora no final tenha dado um ar da sua graça.

Rui Lopes mais uma vez surpreendeu pela positiva lidando dois toiros da ganadaria de Ortigão Costa. Lides de entrega e saber, tributadas com enormes ovações do público presente, que mesmo com as mãos ocupadas pelos guardas chuvas encontrou forma de lhe bater as palmas. Ferros de frente e ao estribo, rematando como mandam as regras do bom toureio. Bom toureio este que o jovem do Ilhéu bordou na arena angrense.

O Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense pegou em solitário os seis quatreños, tendo demonstrado alguma falta de coesão nas ajudas. Nota de destaque para o primeiro ajuda, do qual infelizmente não tenho o nome, que aguentou com estoicismo cinco das seis contra-caras. Pelos da Tertúlia foram à cara Álvaro Dentinho à terceira tentativa, César Fonseca ao primeiro intento, Jorge Santos à segunda, Marco Fontes também à segunda tentativa em tarde de despedida e Tomás Ortins ao primeiro intento na pega da tarde.

Uma palavra de apreço à forma como dirigiu e bem José Valadão, à direcção da Tertúlia por ter levado por diante a corrida e ao público que não arredou pé em dia de temporal.

Duarte Bettencourt

0 comentários: