julho 16, 2011

Tauromaquia e Humildade

A palavra humildade provêm do latim húmus, que é nada mais nada menos do que terra fértil, aquela que ao semear ou plantar dará com toda a certeza bom fruto. A tauromaquia por exemplo é infelizmente um campo com pouco húmus, onde impera o orgulho, aquele da soberba, da vaidade e da ostentação.

Ser humilde é aprender a reconhecer o erro, é aceitar de que nunca se sabe tudo, é reconhecer que não podemos ser ou estar sempre ao melhor nível, já ser orgulhoso é ser dono da verdade suprema, é não aceitar o erro, é não aceitar o desaire.

Como por exemplo na tauromaquia, temos um cavaleiro que com humildade reconhece que a sua lide não é merecedora da ovação alheia, e só pisa a arena depois de a ela ser chamado, para que lhe seja tributada a justa ovação de uma lide conseguida e de êxito, por outro lado temos aquele que se julgando o eterno triunfador, salta de forma efusiva as tábuas, para numa demonstração de orgulho estúpido enganar os menos atentos, transformando uma lide banal numa lide de êxito. Tenham humildade.

Nos forcados também se encontra muita falta de humildade, por exemplo alguns forcados por receberem em abraço o toiro à terceira tentativa recusam-se a dar volta, outros, sem esta que deveria caracterizar os homens da jaqueta enrramada, vão ao sabor das palmas, muitas vezes proferidas pelas muitas claques de Grupos de Forcados que pululam pelas arenas deste país que se diz aficionado à Festa. Mas nos forcados a falta de humildade não se fica pelas voltas à arena, é vê-los (não todos, ainda bem) prezadamente orgulhosos de farda envergada, parecendo os reis desta Festa imunda. Aproveito para parafrasear um colega meu, “parecem pavões, só que quando olham para os pés (de tão feios)morrem de desgosto”, sejam humildes e precebam que todos os dias estão a aprender e aqueles que se julgam sabedores de toda a verdade um dia o bravo, coloca-lhes no devido lugar.

Na Festa muitos outros exemplos de falta de humildade poderiam ser aqui enumerados,vindo eles dos empresário, dos directores de corrida, dos ganaderos, dos fotografos, dos críticos e até do público, mas a Tauromaquia como a sociedade em geral está muito pobre em húmus, por isso chegamos hoje ao que chegamos , com uma Festa e uma Nação muito pouco produtivas.

Humildade precisa-se na tauromaquia e na sociedade, para que tenhamos um dia, uma Festa e um País melhor.

Duarte Bettencourt

0 comentários: