agosto 05, 2018

Ramo Grande, 7 de Agosto de 2007.


Há muito tempo que não escrevo, umas vezes por falta de tempo, algumas vezes por falta de conteúdos e muitas vezes por falta de motivação. 
Hoje deu-me aquela vontade de escrever sobre um dia especial,  7 de Agosto de 2007. 
O inicio do mês de Agosto de 2006 trouxe-me à memória o convite que recebi de um praiense para formar um grupo de forcados na Praia da Vitória, lembro-me de na altura perguntar quem eram os outros elementos que compunham o grupo e para surpresa minha eram praticamente todos angrenses (?), a semente não chegou a germinar. A meados deste mesmo mês de verão soube da existência de um grupo de forcados oriundo do concelho do Ramo Grande o que me deixou em expectativa, pois era de bom grado o surgimento de um novo grupo na nossa Ilha Terceira.
Seguiu-se um convite para assistir a um treino com vacas na ganadaria de Rego Botelho, no final do qual pediram-me uma opinião sobre o que tinha assistido e com a sinceridade merecida disse-lhes " Medo vocês não tem, falta-vos sim muita técnica".
Surgiu logo depois o convite para treinar este grupo de destemidos do Concelho ao qual pertencia por casamento. O primeiro treino de muitos surgiu no meio da Serra do Cume, no tentadero da extinta ganadaria de Duarte Pires, a este seguiram-se muitos no velhinho municipal da Praia da Vitória, hoje a DreamZone das Festas da Praia. Muito se trabalhou, todos os pormenores foram tratados para que no momento do "abraço" tudo corresse pelo melhor. Lembro com nostalgia o dia em que se esperava pelo sim da Câmara Municipal da Praia da Vitória em incluir novamente nas suas Festas uma corrida de toiros e eu lhes disse "Quer a Câmara apoie, quer não, nós vamo-nos apresentar nas Festas da Praia, nem que seja numa praça desmontável.". O apoio foi geral e logo saiu o tão desejado sim.
O dia almejado chegou, qual final de importante evento desportivo, fizemos um passeio pela marginal e em seguida embarcaram num autocarro em direção à casa da Madrinha do Grupo, Mariana Baldaya. Por entre cantigas e boa disposição de quem nunca tinha enfrentado o toiro na arena, chegaram à Vinha Brava com a mesma boa disposição. No decorrer do fardamento ainda houve tempo para um mal intencionado elemento da organização da corrida tentar influenciar negativamente a minha pessoa, coisa que não conseguiu. Recebemos uma oferta especial de familiares dos elementos do Grupo, uma coroa do Senhor Espírito Santo, que ainda hoje acompanha o Grupo do Ramo Grande.
Chegados à Praça e depois das Cortesias sai o primeiro dos Irmãos Toste, hoje pertença de João Gaspar, Nuno Pires para a cara deste numa pega dedicada à minha pessoa, o qual não esperava. 
A determinação, vontade e valor deste grupo fez com que a estreia tenha sido um Verdadeiro Sucesso, dois toiros pegados ao primeiro intento e outro ao segundo. A
lém do Nuno pegaram Alex Rocha e o atual cabo Manuel Pires.
Amanhã dia 6 de Agosto celebram mais um ano de existência. Já lá vão 11 e que venham muitos mais com a humildade com que se apresentaram pela primeira vez em praça. 
Aos 26 elementos que fundaram este Grupo um Obrigado sentido por me terem convidado a vos ensinar o pouco que sabia.

Duarte Bettencourt

0 comentários: